ESG - Como aplicar estas diretrizes em sua empresa?

ESG é uma abreviatura das palavras “Environmental, Social and Governance”, cuja tradução tem o significado de ambiental, social e governança. Na verdade, tudo isso tem a ver com uma mudança de padrão entre as empresas de modo geral para que elas passem a ter boas práticas ambientais, sociais e de governança. Ou seja, é algo para qualquer segmento empresarial.


De acordo com informações da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), esse termo surgiu pela primeira vez em 2005 como resultado de uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), quando reuniu 20 grandes instituições financeiras de 9 países, incluindo o Brasil, para discutir exatamente sobre essas questões nos negócios.


Estas são preocupações que qualquer empresa precisa ter para melhorar a transparência de suas ações no mercado mundial corporativo. Quanto mais empresas estiverem ligadas nessa mudança de paradigma (boas práticas), mais atrairão consumidores cientes do assunto, além de investidores com os mesmos interesses. O ESG agrega valor às empresas não somente às de grande porte, como também as de pequeno e médio porte. E na construção civil não tem sido diferente. Parece complicado? Mas não é.


Então, aqui neste artigo, você vai saber:


- Por que esta tendência se tornou mundial?

- Quais são as boas práticas sociais, ambientais e de governança que as empresas precisam implementar?

- Por que é importante ter a consciência do ESG na construção civil?

- E quais os benefícios financeiros que o ESG traz para a empresa?


A tendência atual é o caminho para o bem-estar


Mas afinal o que as empresas devem fazer para se alinharem a esse novo padrão no ambiente corporativo?


- Preocupação com a sustentabilidade. É preciso recorrer a projetos de construção que agridem menos o meio ambiente.

- Tomar decisões com responsabilidade social em todos os âmbitos da empresa (pauta de agenda pública atual). Preocupação não só com os colaboradores, mas também com a sociedade como um todo.


- Maior transparência nas ações. É outra tendência na qual muitos investidores têm exigido dados mais precisos e confiáveis das empresas para que assim eles possam decidir se irão investir ou não em um empreendimento.




Por que esta tendência se tornou mundial?


Segundo Carlos Alberto de Moraes Borges, o engenheiro civil e vice-presidente de tecnologia e sustentabilidade no Secovi-SP, são várias razões para esta tendência como:


- pressão de investidores de órgãos do mercado financeiro;


- a sociedade (especialmente os jovens) está consciente de que as empresas não têm que atender só os acionistas e sim a sociedade como o um todo;


- condições climáticas.


- a pandemia da COVID-19 (problema que tem afetado drasticamente toda a população do planeta)

Percebe que, com estas discussões, que o objetivo do ESG é tornar um mundo mais justo e mais verde.


Quais são essas boas práticas de ESG?


Nas práticas ambientais (E):


As empresas precisam tomar medidas que diminuam o impacto ambiental como redução de gás carbônico, proteção à biodiversidade, utilização de recursos renováveis, a gestão adequada de resíduos (aqui pode-se falar nos 3Rs – reduzir, reutilizar, reciclar).


Nas práticas sociais (S):




É preciso pensar em iniciativas que promovam a equiparação de salários (para qualquer gênero) como forma de engajamento dos colaboradores; diversidade nas equipes de trabalho, políticas de proteção de dados, satisfação dos clientes, além das preocupações com projetos sociais de maneira geral.




Nas práticas de governança (G):


Para a governança: como o nome diz, são processos relacionais à práticas administrativas e de gestão como: o ideal é que a empresa tenha um conselho administrativo e que ele seja independente na empresa, investimentos para impedir corrupção, assédio, discriminação e transparência nos processos empresariais como estudos e relatórios que a empresa disponibiliza.


Por que é importante ter a consciência do ESG na construção civil?


Em evento virtual promovido pela CBIC, realizado em dezembro passado, Borges explicou que, por ser uma tendência mundial, as empresas que não se preocuparem com o ESG poderão até deixar de existir em um futuro não muito distante.



Na construção civil, sobretudo, as empresas que não se preocuparem com as questões ambientais relacionadas à gestão correta de resíduos e atividades ecologicamente corretas (as chamadas construções verdes) perderão espaço no mercado não só para clientes finais, como para investidores de crédito e parceiros. Isso é algo que impacta bastante na economia.


E quais os benefícios financeiros que o ESG traz para a empresa?


Ao seguir esta tendência, investindo em práticas de ESG, o ganho financeiro da empresa é visível, porque o ESG atrairá ainda mais investidores, uma vez porque os bancos e fundos de investimento e de crédito estão em constante busca de empresas cada vez mais responsáveis com seu trabalho, atos e escolhas. Importante ressaltar que os clientes também buscam ESG. Ou seja, se perder cliente, perde-se dinheiro.


Para a empresa ser referência em ESG, é preciso capacitar os colaboradores, implementar processos, certificações de selos ecológicos, diversas modalidades de ISO e, mais do que isso, reestruturar a mentalidade dos gestores.


Uma vez que não adianta uma empresa passar a ideia de que é ESG para a sociedade se, na prática, não se preocupa com estas questões internamente no seu dia a dia.


E você?


Dentro do canteiro de obras na empresa onde trabalha, tem a preocupação em colaborar com o ESG e assim a empresa possa atrair mais investidores e se tornar uma referência no mercado econômico?




Reflita sobre as questões ambientais, sociais e de governança! A gestão de resíduos é uma delas! Como fazer isso no canteiro de obras, seja na reforma ou construção?


Então lembre-se da caçamba para destinar corretamente o entulho!


A Alugalogo está aqui para te ajudar! É rápido e prático! Faça já um orçamento!