top of page

Quais são os principais problemas da falta de aterro sanitário em Belo Horizonte?


Aterro Sanitário em Belo Horizonte
Imagem de prvideotv por Pixabay

A falta de um adequado sistema de gestão de resíduos sólidos tem sido um desafio enfrentado por muitas cidades ao redor do mundo. Mas além disso, percebe-se também que a ineficiência ou ausência de aterros sanitários agrava ainda mais a situação, como vem acontecendo em Belo Horizonte.


A ausência de um aterro sanitário eficiente traz consigo uma série de problemas que afetam tanto o meio ambiente quanto a qualidade de vida dos cidadãos. Neste artigo, exploraremos os principais problemas decorrentes dessa situação e discutiremos possíveis soluções para lidar com essa questão, tendo como foco a capital mineira.


O que é aterro sanitário?


É muito comum escutarmos sobre os aterros, mas a verdade é que poucos sabem o que de fato ele é e como ele deve ser construído para que as leis e resoluções ambientais sejam seguidas.


Um aterro sanitário é uma instalação projetada e construída para a disposição final de resíduos sólidos urbanos de forma segura e controlada. Diferente dos lixões, que são locais de descarte irregular, os aterros sanitários legalizados seguem leis e normas específicas para garantir a proteção do meio ambiente e da saúde pública.


Para que ele esteja de acordo com as leis, como falado, é importante que o local siga as seguintes características:


  • O aterro sanitário deve ser construído em uma área afastada de centros urbanos e corpos d'água, levando em consideração aspectos ambientais, como o tipo de solo e a presença de lençóis freáticos.


  • Ele deve contar com uma camada impermeabilizante no solo, geralmente composta por argila e geomembranas, para evitar a contaminação do lençol freático.


  • Os aterros sanitários legalizados são equipados com um sistema de drenagem que coleta o chorume e o direciona para um tratamento adequado.


  • Regularmente, uma camada de solo ou material apropriado é espalhada sobre os resíduos depositados no aterro sanitário. Essa cobertura diária tem a finalidade de reduzir odores, minimizar a propagação de vetores e controlar a dispersão de materiais leves pelo vento.


  • A entrada no aterro sanitário é restrita a pessoas autorizadas, como funcionários e prestadores de serviços. Também são estabelecidas medidas de segurança para evitar incêndios, acidentes e a entrada de materiais perigosos ou proibidos.


  • É preciso que, regularmente, sejam realizadas medições de qualidade do ar, qualidade da água subterrânea, monitoramento da fauna e flora local, além de análises químicas do solo para garantir a conformidade com as normas ambientais estabelecidas.


Essas são algumas das características que definem um aterro sanitário legalizado e que segue as leis e normas ambientais.


Principais problemas que a cidade de Belo Horizonte pode ter pela falta de aterros


Atualmente, a cidade de Belo Horizonte não apresenta aterros sanitários suficientes ou que consigam atender toda a demanda da cidade. Essa realidade faz com que os danos ambientais aumentem, além de colocar em risco a saúde da população.


Para compreender maior os riscos, veja a seguir as principais consequências que a falta de aterro pode trazer para a cidade e também para a região:


Aumento da poluição e contaminação do solo


O primeiro problema resultante da falta de aterro sanitário em Belo Horizonte é o aumento da poluição e contaminação do solo. Sem um local adequado para a disposição dos resíduos, muitos acabam sendo descartados de forma inadequada, contaminando o solo com substâncias tóxicas e prejudiciais à saúde humana e ao ecossistema.


Riscos à saúde pública


Além da contaminação do solo, a falta de aterro sanitário também traz riscos à saúde pública. O acúmulo de lixo em áreas impróprias favorece a proliferação de vetores de doenças, como ratos, mosquitos e baratas. Esses animais podem transmitir diversas enfermidades, colocando em risco a saúde dos moradores de Belo Horizonte.


Impactos negativos na qualidade do ar


Muitos resíduos sólidos, quando não descartados corretamente, são queimados a céu aberto, liberando gases tóxicos na atmosfera. Estes gases contribuem para a poluição atmosférica, aumentando a concentração de poluentes e afetando a saúde respiratória da população.


Degradação do meio ambiente


O acúmulo de lixo em áreas impróprias resulta na destruição de ecossistemas locais, comprometendo a biodiversidade e interferindo no equilíbrio ambiental. Além disso, a contaminação de corpos d'água próximos pode afetar a fauna e flora aquáticas, prejudicando ainda mais a vida selvagem.

Desafios na gestão de resíduos


Sem uma infraestrutura adequada, torna-se mais difícil e custoso lidar com a coleta, transporte e destinação final dos resíduos. Isso resulta em um sistema de gestão ineficiente, sobrecarregado e sujeito a problemas operacionais, como atrasos na coleta e descarte irregular.


O que deve ser feito?


A falta de aterro sanitário em Belo Horizonte acarreta uma série de problemas que afetam tanto o meio ambiente quanto a qualidade de vida da população. A poluição e contaminação do solo, os riscos à saúde pública, os impactos negativos na qualidade do ar, a degradação do meio ambiente e os desafios na gestão de resíduos são questões urgentes que precisam ser enfrentadas.


É fundamental que sejam adotadas soluções sustentáveis, como investimentos em infraestrutura adequada, incentivo à coleta seletiva, implementação de programas de reciclagem e conscientização da população.


Somente por meio de um esforço conjunto será possível mitigar os problemas decorrentes da falta de aterro sanitário na cidade e promover um ambiente mais saudável e sustentável para todos.


bottom of page